(22) 9 9948-1737 contato@oitaperunense.com.br

CVAS intensifica ações de controle e prevenção ao carrapato estrela em Itaperuna

CVAS intensifica ações de controle e prevenção ao carrapato estrela em Itaperuna

Por ser uma importante zoonose e de grande relevância epidemiológica, a Febre Maculosa, doença transmitida pelo carrapato estrela, infectado com a bactéria Rickettsia rickettsii, necessita-se de uma vigilância constante. Partindo dessa premissa, a Prefeitura de Itaperuna, através da Secretaria Municipal de Saúde, via Coordenação de Vigilância Ambiental em Saúde (CVAS), intensificou as ações para a captura e pesquisa do carrapato estrela, nas localidades estratificadas para a ação no município.

Desde o mês de agosto, quando técnicos de Zoonoses da Secretaria de Estado de Saúde – RJ estiveram fazendo pesquisa para a captura de carrapatos em Itaperuna, foram tomadas algumas providências. Como por exemplo, o Laboratório de Pesquisa e Análise de Zoonoses da CVAS, tem monitorado as localidades ribeirinhas e zonas rurais de Itaperuna, onde há relatos de presença de capivaras, que é um dos animais hospedeiros do carrapato estrela.

Na última terça-feira, 14, a equipe técnica de captura e análise da CVAS, fez buscas nas margens do Rio Muriaé, na altura da localidade Limoeiro, onde segundo as investigações epidemiológicas, existe uma população de capivaras.

Segundo o coordenador da CVAS, Adriano Rodrigues, a área do Limoeiro e proximidades, tem recebido constante monitoramento e acompanhamento técnico. É importante que a população tenha conhecimento dessa situação, pois, com a sensibilização da comunidade, será possível se prevenir contra a doença em Itaperuna.

“É essencial que as pessoas redobrem seus cuidados quando forem pescar ou fazer algum tipo de lazer próximo às margens de rios ou ilhas, principalmente se houver vestígios ou a presença de capivaras, cavalos ou bois, pois pode haver carrapatos infectados na vegetação e transmitir ocasionalmente a doença. Caso haja dúvida em relação ao carrapato ou infestação nas residências, a população pode acionar a CVAS, que nossos técnicos, farão a captura do espécime para identificar se é o vetor da Febre Maculosa”, alerta o coordenador. 

Essas doenças são prevalentes nas zonas rurais e ribeirinhas; e com o crescimento da cidade, adentrando às zonas rurais, ficam mais próximas do contato com o homem, e animais silvestres, assim, torna-se mais comum essas infecções zoonóticas.

“Porém não é uma doença expandida por todo o município, mas preocupante. A CVAS tem mantido observação e vigilância severa sobre essas regiões e ações contínuas de combate ao carrapato. Devemos ficar em alerta e a população precisa tomar os devidos cuidados. Foi realizada na propriedade rural no Limoeiro, pesquisa acarológica e a captura de ninfas, larvas e adultos com a técnica de arrasto para a coleta dos carrapatos. Também foi passada mensagem educativa e orientação, às pessoas responsáveis da propriedade pesquisada, quanto aos cuidados e as precauções possíveis, sobre os riscos do contato com o carrapato estrela”, finaliza Adriano.

PRECAUÇÃO EM RELAÇÃO AO CARRAPATO

– Use roupas claras, para ajudar a identificar o carrapato;

– Use calças, botas e blusas com mangas compridas ao caminhar em áreas arborizadas e gramadas;

– Evite andar em locais com grama ou vegetação alta;

– Use repelentes de insetos: atualmente já existem repelentes contra carrapatos;

– Verifique se você e seus animais de estimação estão com carrapatos: após três horas de exposição a áreas de risco é preciso verificar se há a presença de algum carrapato no corpo. Após esse período, o inseto já terá transmitido a bactéria para a pessoa.

REMOÇÃO DO CARRAPATO

Primeiro passo – Antes de removê-lo, limpar a área com um antisséptico ou com água e sabão, tomando cuidado para não desalojar o carrapato durante o processo.

Segundo passo – A pessoa deve puxar o carrapato diretamente, no sentido oposto ao do corpo, com a ajuda de uma pinça redonda e sem corte, com ponta média e angulada.

Observação – Caso a cabeça do carrapato fique na pele, a pessoa deve usar a pinça para removê-la, como se fosse uma farpa de madeira. Depois que o carrapato for completamente removido, a área deve ser limpa com água e sabão antibacteriano ou similar. Quanto mais rápido uma pessoa retirar os carrapatos de seu corpo, menor será o risco de contrair a doença. Após a utilização, coloque todas as peças de roupas em água fervente para a retirada dos remanescentes dos carrapatos.

Com informações: DECOM/Itaperuna/RJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll Up